Biblioteca Pública Municipal "Maria José Ferreira"


quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Biblioteca inicia curso de redação dissertativa

           As aulas do curso de redação dissertativa começaram na última terça-feira, dia 26 de fevereiro, na Biblioteca Municipal “Maria José Ferreira”.
Segundo a professora do curso, Nicolly Bueno, o objetivo é Ensinar técnicas de redação dissertativa argumentativa aos alunos, com a finalidade de prepará-los para concursos e vestibulares.
Além de ser o tipo de texto mais exigido em provas e concursos em todo o Brasil, a dissertação também é um dos textos mais simples de se redigir. Começando pela estrutura e finalizando pelo tipo de linguagem empregado, é um texto que pode ser estudado e familiarizado com estudantes de diversos níveis. O formato de redação escolhido pela grande parte dos vestibulares, inclusive pelo Enem, é a dissertação-argumentativa. Esse gênero textual possibilita que o estudante construa uma tese inicial e defenda diferentes pontos de vista ao longo do texto” disse.
              Ao término do curso, cada aluno deverá apresentar uma redação dissertativa para ser avaliado. Todos os participantes receberão certificado emitido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Presidente Venceslau.






quarta-feira, fevereiro 27, 2013

Biblioteca comemora Dia Nacional da Poesia

        A biblioteca municipal "Maria José Ferreira" vai comemorar no próximo dia 14 de março, o Dia Nacional da Poesia. A data é uma homenagem ao aniversário do escritor brasileiro Castro Alves. Será realizado um Chá Poético, às 16:30, para escritores e mulheres acima de 40 anos. 
            O evento tem como objetivo celebrar o Dia Nacional da Poesia, com um chá poético e promover uma confraternização entre poetisas e escritores venceslauenses com o público, oferecendo contato direto com a arte literária, por meio de declamação e músicas.
          Haverá apresentação de declamação de poesia, interpretação, músicas e sorteio de livros de escritores venceslauenses, com tarde de autógrafos. Antes do chá, será apresentado breve currículo de Castro Alves, bem como enfatizada a sua importância para a literatura portuguesa, por meio de um professor de literatura, o qual reunirá os presentes para um bate papo informal, proporcionando assim, uma tarde agradável e descontraída.
Por que comemorar o nascimento de Castro Alves?
Em suma, a obra de Castro Alves representou uma transição importante na literatura brasileira. As temáticas de seus poemas e a construção do eu lírico demonstram a mudança de tom do movimento que trocava estereótipos por questionamentos sociais.
A obra de Castro Alves, acima de tudo, teve grande influência política e abolicionista. Dessa forma, ele se distancia dos autores da primeira e segunda geração do Romantismo e inaugura a poesia como denúncia e crítica social. Assim, surgiram grandes obras como Espumas Flutuantes (1870), A cachoeira de Paulo Afonso (1876), Os Escravos (1883), sendo as duas últimas publicadas postumamente.
Em seus poemas, Castro Alves achou espaço para divulgar os maus tratos enfrentados pelos negros e expressar o seu posicionamento contrário à escravidão.
Um de suas obras mais marcantes é Tragédia no lar, em que convida os leitores a visitarem uma senzala e ver como a situação dos negros deveria envergonhar a sociedade aristocrata, preocupada em se manter elegante em bailes e festas.

quinta-feira, fevereiro 21, 2013


Soneto de Fidelidade


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento


E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama


Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.



                                    

Vinicius de Moraes

terça-feira, fevereiro 19, 2013


“Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar”

                                                                                                                           Machado de Assis...